Header Ads

[Resenha] A química que há entre nós || Krystal Sutherland


272 Páginas || Krystal Sutherland || Ano 2017 || Editora Globo Alt
Resenha por Débora Favoreto



"E foi assim que aconteceu. Foi assim que a vi pela primeira vez. Não houve nenhuma câmera lenta, nada de brisa, nada de trilha sonora e, definitivamente, nenhum coração saindo pela boca. Grace mancou para dentro da sala dez minutos atrasada, em silêncio, como se fosse a dona do lugar, como se estivesse na nossa classe há anos, e talvez porque ela fosse nova ou porque ela fosse esquisita, ou porque a professora conseguia notar apenas de olhar para ela que uma pequena parte de sua alma estava ferida, a sra. Beady não disse nada. Grace se sentou em uma cadeira no fundo da sala de teatro com paredes pretas, sua bengala descansando entre as coxas, e não disse nada para ninguém por toda a aula. 
... Então esta, com certeza não é uma história de amor à primeira vista.
Mas esta é uma história de amor.
Bom.
Mais ou menos."


A química que há entre nós conta a história de Grace Town e Henry page.

Henry Page é um adolescente muito inteligente. Cheio de amigos, e atingiu a idade madura muito mais cedo do que o esperado. Porém, nada o preparou para a nova aluna, Grace Town

"Grace Town é uma charada embrulhada em um mistério dentro de um enigma." 

Henry nunca se apaixonou. Grace Town não é a garota quem ele sonhou se apaixonar. Ela caminha com uma bengala, usa roupas de garotos e tem um odor e a aparência de quem não toma banho. Contudo, quando Henry e Grace são escolhidos para editar um artigo na escola, ele conhece o lado inteligente dela e bastou alguns minutos para rapidamente se ver apaixonado por ela. É nítido que Grace tem marcas do passado, mas isso a torna ainda mais bonita para Henry. O mistério da garota o encantou e ele se vê obrigado e preparado para ajudá-la a juntar as suas peças.

"Uma coisa estava clara: apenas cinco curtas semanas depois de eu conhecê-la, Grace Town já estava no modo repeat na minha cabeça."

Porém, o quanto mais Henry consegue quebrar o muro que há entre eles, mais os segredos de Grace parecem obscuros.

Assim que eles iniciam o artigo escolar, eles começam a namorar, embora Grace se recuse a deixar que isso se torne público. Em nenhum momento ela diz a Henry que compartilha de seus sentimentos intensos, mas ela também não o desencoraja.

"Então eu soube. Grace Town, linda, misteriosa, danificada e completamente esquisita, gostava de mim." 

Grace está danificada e traumatizada, e isso não é nada bom para Henry. Ela brinca com os sentimentos dele porque ele a faz sentir bem, ele a faz esquecer. Isso chega a ser angustiante.

Em alguns momentos da leitura senti que estava ficando um pouco entendiada, porém parei e continuei a leitura no dia seguinte, com a mente mais relaxada, e foi a melhor coisa que fiz. Foi nesse momento que Henry começou ver a vida de outra forma. Ele estava literalmente obcecado por Grace, e ela não se importava muito com ele.

"Se as pessoas realmente eram formadas de pedaços do universo, sua alma era feita de poeira de estrelas e caos."

Achei o livro muito real, em inúmeros momentos eu esquecia que os personagens eram adolescentes de tão intenso que decorria a trama.

O final foi bem diferente do que imaginei que seria, porém fiquei muito satisfeita com a conclusão. A química que há entre nós é um livro que não vou esquecer por um bom tempo.

Tentei colocar o máximo de trechos do livros para vocês perceberem a tamanha intensidade dessa história. Assim que finalizei a leitura, não sabia como resenhá-lo, eu só sabia senti-lo.

"Se amor pudesse tê-lo salvado, você teria vivido para sempre."

Assim como ouvi dizer, antes de ler o livro, confesso que também achei a narrativa da autora Krystal Sutherland bem parecida com os autores John Green e Rainbow Rowell.

Honestamente, eu me surpreendi muito com a leitura e estou muito feliz por ter lido e conhecido essa história. Eu nunca li nada tão doloroso e esmagadoramente lindo. A química que há entre nós é sobre todos os tipos de amor. 


Grace Town foi uma explosão química no meu coração. Ela era uma estrela que entrou em supernova. Por alguns poucos momentos houve luz e calor e dor, mais brilhantes que uma galáxia, e, na sua esteira, ela não deixara nada além de escuridão. Mas a morte de uma estrela fornece os tijolos de base da vida. Somos todos feitos de coisas de estrelas. Somos todos feitos de Grace Town. 




CAPA E SINOPSE:

Grace Town é esquisita. E não é apenas por suas roupas masculinas, seu desleixo e a bengala que usa para andar. Ela também age de modo estranho: não quer se enturmar com ninguém e faz perguntas nada comuns.
Mas, por algum motivo inexplicável, Henry Page gosta muito dela. E cada vez mais ele quer estar por perto e viver esse sentimento que não sabe definir. Só que quanto mais próximos eles ficam, mais os segredos de Grace parecem obscuros.
Mesmo que pareça um romance fadado ao fracasso, Henry insiste em mergulhar nesse universo misterioso, do qual nunca poderia sair o mesmo. Com o tempo, fica claro para ele que o amor é uma grande confusão, mas uma confusão que ele quer desesperadamente viver.


Ficção / Jovem adulto / Literatura Estrangeira / Romance


Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.