Header Ads

[Resenha] ENTRE NO JOGO || TATIANA PINHEIRO

219 páginas || Tatiana Pinheiro || Ano 2017 || Gênero: Erótico / Literatura Brasileira / Romance
Resenha por Débora Favoreto


Juliane é uma excelente secretária executiva. A mulher tinha o melhor emprego da vida (palavras dela). Estava sempre com o celular do ano, cartão de crédito pago pela empresa (sonho), motorista ao seu dispor e por aí vai. 

Juli não mora na mesma cidade que sua família, mas encontra em seu chefe, Sr. Duarte, um pai nos momentos em que mais precisa. Ela é uma ótima funcionária, prestativa e com um coração do tamanho do mundo. O jeito espontâneo de Juli a torna apaixonante. Quase todas as pessoas gostam dela. Na verdade, é impossível não gostar dessa guria.

Após ser abandonada pelo seu ex-namorado, Juli cria uma barreira no quesito amor. Ela é uma nerd que só queria que alguém a amasse do jeito que ela realmente é. 

"Mesmo tendo as pessoas que eu ame tão fortemente, eu sinto a falta de ter alguém ao meu lado que se preocupe comigo, que sorri quando fala ou pensa em mim. Sou uma romântica estúpida, mas o que posso fazer? Eu fui feita para amar em grandes proporções."

E, é o mais novo diretor financeiro da empresa, Augusto Belmonte, no qual ela será “babá” por algumas semanas, que balança totalmente as suas estruturas. 

"Alto, olhos lindos, cabelos escuros.
Mais gato do que eu me lembro.
De tantos caras que poderiam vir trabalhar aqui, tinha que ser justo a versão mais gostosa do Brian J. Smith?
Crack
Crack
Já ouço meu coração idiota se quebrando."

A química entre Juli e Augusto é algo que não dá para ignorar. Ele também não facilita em nada. Certamente, em poucas semanas eles já estão completamente apaixonados. 
Ela só não esperava encontrar indiferença e um olhar quebrado em Augusto assim que eles iniciam o relacionamento, deixando ela insegura novamente. 

"Não exigi dele amor eterno. Apenas a verdade sobre o que há de errado. Eu não consegui a resposta para isso. Ele teve duas chances de me dizer e desperdiçou ambas. Eu não sei se posso dar a ele uma terceira."

No ambiente da empresa, Juli me lembrou muito a Donna da série Suits
Na vida real, no momento Geek, ela me lembrou muito a própria autora e em alguns momentos, me vi demais nela também. 


Teen Wolf é uma das séries mencionadas no livro, confesso que também é uma das minhas preferidas. Entendo completamente a paixão que ela tem pelos cabeçudinhos (Funko Pop), porque também sou completamente apaixonada. Em determinado momento durante a leitura,  que não citarei, ela ganha um Funko Pop do Augusto, um dos mais desejados no momento por mim, a reação dela é a melhor, e eu a entendi completamente, acho que faria a mesma coisa. Preciso que o meu marido leia esse livro e se inspire nesse homem. Quem sabe funciona! (rs).

Augusto é aquele personagem masculino que você ama logo no início, detesta na metade do livro e se derrete no final. Juli é aquela mulher que você se identifica em vários momentos. Tanto na sua força, quanto no seu jeito romântico de encarar a vida.

"Minhas emoções são como espelhos. Refletem os seus. Seja raiva, indiferença ou alegria. Minha alma depende da sua."

Entre no Jogo é uma leitura leve, envolvente e viciante. Preciso desse livro em formato físico o mais rápido possível. Eu já quero reler! 
O livro é quase todo narrado pela Juli, mas em alguns momentos temos o ponto de vista de Augusto.

Durante a leitura, a autora irá fazer você morrer de prazer. O enredo e os personagens são reais. Tem uma referência ao universo geek de se encantar, fora o final que é de suspirar. 

Juli é o tipo de nerd gostosa que todas nós, que amamos esse "universo", gostaríamos de ser. Uma verdadeira Scarlett Johansson versão morena.
  
"Não dou seiscentos reais em um sapato. Em livros sim, mas em sapato? NUNCA!"

Disponível em formato digital: http://amzn.to/2sDBKLg


CAPA E SINOPSE:

Era uma pacata vida monótona, idiota, sem graça e sem nenhuma expectativa. Mas eu tinha que estragar as coisas de uma maneira bem, bem... Bem I D I O TA. Da maneira que só eu consigo fazer.
Diferente do que você pensa, eu não sou burra, retardada ou coisa do tipo. Certo que às vezes precisam me explicar algumas coisas mais de uma vez, mas isso é porque eu estou olhando para o nada e pensando no significado da vida. Porém isso acontece apenas umas três vezes no dia. Coisas de pisciana.
Fora isso, algumas vezes me intitulam uma Einstein. Isso sempre é o diretor Geral da empresa.
Mas por que eu estou me xingando e degradando a minha pessoa?
Porque eu sou a menina nerd, apaixonada e inocente que se deixou seduzir pelo MARAVILHOSO ESPÉCIME DE HOMEM.
E está completamente perdida.
Pode ficar pior. Acredite em mim!

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.