Header Ads

[Resenha] Muito amor, por favor: o amor em quatro elementos

240 páginas || Um sentimento em quatro elementos || Ano 2016 || Editora Sextante || AutoAjuda
Resenha por: Débora Favoreto

Muito amor, por favor é escrito por quatro autores diferentes e cada um aborda um elemento distinto, onde o Ique Carvalho escreve O Amor é Fogo, o Matheus Rocha escreve O Amor é Terra, o Arthur Aguiar escreve O Amor é Água e o Frederico Elboni escreve O Amor é Ar.



Sim, sou daquelas que foi apaixonada pela série Rebelde, e sim, o ator e cantor Arthur Aguiar era o meu Crush. (rs!) Então, resumindo, esse foi um dos motivos que solicitei esse livro com a editora e confesso que quando chegou, fiquei com medo de me decepcionar, o que graças a Deus, não aconteceu.

Mas, mesmo adorando o Arthur, de todos os autores, o meu preferido nesse livro foi o Frederico Elboni. Gente, ele me entende, sério. Parecia que estava escrevendo para mim ou em alguns momentos, falando de mim. A sensação foi surreal.


"Se você quer se expressar, então use o olhar. Porque as palavras não podem dizer o que o amor pode fazer.” - Frederico Elboni

Achei legal a maneira como os autores são diferentes, e juntos criaram uma obra tão sublime e romântica. O bom dessa diferença é que o desempenho entre eles, não poderia ser melhor. Deixando bem explícitas todas as mudanças.



"Significa, menina, que eu sou fogo, e você, a gasolina." - O amor é fogo (Ique Carvalho)

E, infelizmente, a minha maior empolgação acabou que não me deixou tão envolvida. Então, o conto que eu mais queria ler, O amor é água, do Arthur Aguiar, lamentavelmente, foi o que menos me agradou.

"Quero gestos sinceros, e não palavras vazias." - O amor é água (Arthur Aguiar)



Finalizei a leitura com a seguinte frase em mente: Sim, homens podem e com maestria falar sobre o amor.

"Depois de um passado em que a dor do amor me mostrou sua pior face, prometi que não me entregaria de bandeja a mais ninguém. Prometi que não emprestaria mais minhas músicas favoritas a qualquer pessoa que cruzasse meu caminho." - O Amor é terra, por Matheus Rocha



Preciso comentar o quanto o projeto gráfico desse livro está encantador. Não somente a capa, que é uma coisa linda, mas ele todo é puro amor. O livro é muito leve e gostoso de ler. Eu mais do que recomendo para os apaixonados por contos de romance. ^^ 



Capa e Sinopse:
Este livro reúne textos que mostram o amor do ponto de vista de quatro jovens que escrevem sobre relacionamentos legítimos e atuais, que souberam se reinventar. Sem medo de expressar seus sentimentos, deixam para trás estereótipos já obsoletos – como o controlador machista ou o piegas choroso – e falam sobre viver a dois e sobre a natureza das relações em todos os seus aspectos. Assim, cada autor reflete sobre o amor representado por um elemento: Arthur Aguiar escreve que “O amor é água”, dizendo que ele é fluido, mas por vezes gelado; ora tempestade, ora profundo. Fred Elboni explica que “O amor é ar”, mostrando a leveza de se amar sem sofrer, da brisa que envolve os apaixonados, mas que por vezes torna-se furacão. Ique Carvalho se debruça sobre quando “O amor é fogo”, que arde, aquece a alma, mas que também pode incendiar até doer. E Matheus Rocha conta que “O amor é terra”, estável, tranquilo, mas que não escapa dos terremotos da vida, que tiram tudo do lugar para que a rotina não o extermine. Um livro apaixonante, para quem ama e para quem quer amar um dia... e sempre. 

2 comentários:

  1. adorei a ideia de dividir o livro em elementos e a capa é linda bygugel.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Concordo com o comentário acima.
    Adorei essa ideia e também amei a capa.

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.