Header Ads

[Resenha] Enquanto eu te esquecia | Jennie Shortridge @editoraunica

384 páginas || Jennie Shortridge || Ano 2014 || Editora Única || Skoob
Resenha e fotos por: Dani Almeida




Confesso que quis ler Enquanto eu te esquecia por achar a capa bonita. Eu não cheguei a ler nenhuma resenha ou, até mesmo, a sinopse, só vi a capa do livro várias vezes no instagram e ela me chamou atenção.

Quando estava com o livro em mãos e fui saber um pouco da história por meio da sinopse, fiquei ainda mais curiosa e embarquei na leitura com as expectativas nas alturas. E talvez, esse tenha sido o maior problema.

Imaginei que encontraria a versão literária do filme Como se fosse à primeira vez, um dos meus preferidos; achei que a história seria muito mais focada no romance do que no drama da protagonista e isso me decepcionou um pouco.
Na verdade, parando para pensar agora, percebo que a capa já me dizia muito do que eu iria encontrar dentro do livro: a nebulosa, e por vezes confusa, história da vida de Lucie Walker.

Enquanto eu te esquecia narra a história de Lucie Walker; uma mulher de trinta e nove anos que é encontrada na Praia de São Francisco sem fazer a menor ideia de como chegou lá e de quem seja.

Enviada à um hospital psiquiátrico, ela é diagnosticada com um distúrbio raro denominado fuga dissociativa. Sem nenhuma evidência de lesão ou trauma físico, os médicos acreditam que a amnésia seja fruto de algum trauma emocional, visto que, Lucie não possui nenhuma memória autobiográfica, porém sabe de fatos como o nome do presidente atual e a marca da bolsa e sapatos que estava usando.

“ESSE É UM PROBLEMA REALMENTE SÉRIO. A MAIORIA DAS PESSOAS QUE TEM ISSO, COM O TEMPO RECUPERA A MAIOR PARTE DA MEMÓRIA OU TODA ELA. COM TRABALHO. CONTUDO, UMA PEQUENA PORCENTAGEM NUNCA CONSEGUE."

Após alguns dias de busca, seu noivo, Grady, consegue localizá-la e, depois de comprovar a veracidade do que diz, é autorizado á levá-la para casa.

Lucie não o reconhece, mas algo nele a faz sentir-se confortável, segura e ela espera que, de volta ao lar, possa se recuperar totalmente.

Entretanto ela se descobre muito diferente da “antiga” Lucie. A mulher que fora antes de ser encontrada desmemoriada, era fria, controladora, egoísta e com um passado misterioso que, até mesmo, seu noivo desconhecia.


Grady percebe as mudanças em Lucie: seus gostos, hábitos e personalidade não são mais os mesmos. 
Se agora ela não se lembra mais dele, por sua vez, ele não a reconhece também. E, talvez, essa seja a oportunidade dele para tentar resgatar o relacionamento de ambos.

“ERA NATURAL QUE QUISESSE SABER TUDO QUE TINHA ACONTECIDO NO DIA DE SEU DESAPARECIMENTO. ELE CONTOU , DA MELHOR MANEIRA QUE PÔDE , OMITINDO POUCA COISA. NÃO SENTIA ORGULHO DISSO, MAS LUCIE ESTAVA DE VOLTA PARA ELE DE UM JEITO QUE SUGERIA UM NOVO COMEÇO, MESMO QUE TUDO PUDESSE DAR ERRADO NOVAMENTE.”

Aos poucos vamos acompanhando sua angustiante busca por si mesma; através das pessoas ao seu redor, seus vizinhos, da família de Grady e da tia Helen, sua única parente, ela percebe quão horrível era a mulher que fora e, definitivamente, não queria voltar a ser.

Mas será possível pensar em futuro, quando não se tem um passado?
E Grady, poderá amar essa nova mulher na qual Lucie se transformou, sendo ela tão diferente daquela que ele se apaixonara?

Há segredos que precisam ser revelados e mistérios a serem desvendados, não só no que se refere à vida de Lucie como à de Grady também.

Os acontecimentos recentes operaram mudanças em ambos. E agora, tão diferentes, será o coração capaz de recordar o que a memória apagou?


"É VERDADE QUE AGORA VOCÊ ESTÁ DIFERENTE, MAS EU TAMBÉM ESTOU. COMEÇO A PERCEBER QUE TALVEZ SEJA HORA DE MUDAR TUDO."

Apesar de, como disse inicialmente, o livro não ter suprido minhas altas expectativas, a leitura foi agradável e envolvente. Jennie Shortridge escreve com franqueza os sentimentos de cada personagem, aflorando assim, as nossas emoções.

Enquanto eu te esquecia não é apenas mais uma história de amor; não, é muito mais do que isso...
É uma história de superação e reflexão. Remete o leitor a pensar o quanto as experiências pelas quais passamos influenciam em nossas vidas, na pessoa que somos e que, independente de tudo, sempre há uma segunda chance para ser feliz.

O final do livro fica a cargo da imaginação de cada leitor. A autora deixou em suspenso, reticente e uma pergunta: o que vem depois?

Para quem, assim como eu, acreditou que o livro teria uma continuação, não se iluda: é volume único.
Entretanto, mesmo um pouco frustrada, eu acho que esse final foi condizente com todo o desenrolar da história e, se a mensagem que a autora quis passar foi de, viva um dia após o outro, ela conseguiu.

“LUCIE SABIA QUE IA ACABAR SE ACALMANDO E SE DEIXANDO LEVAR, E DE MANHÃ... BOM...
VERIA O QUE ESTAVA POR VIR.”

Enfim, apesar das ressalvas, gostei bastante da leitura e se você é fã de tramas intensas e dramáticas, aqui está minha dica: leia Enquanto eu te esquecia e apaixone-se.



CAPA E SINOPSE:

Lucie Walker não se lembra de quem é ou como foi parar nas águas geladas da Baía de São Francisco. Encaminhada para uma clínica psiquiátrica, ela aguarda até que um homem chega afirmando ser seu noivo. Entretanto, com seu retorno para casa, essa mulher sem memória vai tomando conhecimento de sua personalidade antes do acidente, da pessoa controladora, fria e sem vida que era, e dos segredos da infância e da família, assim como da situação do noivado e dos mistérios que podem ter provocado o acidente
Será que ela quer isso de volta? Será que essa nova Lucie conseguirá manter o amor por Grady, ou a oportunidade de recomeçar será sua salvação?
Intenso, franco e incrivelmente emocionante, Enquanto Eu Te Esquecia é um livro delicado, que nos questiona sobre a maneira que vivemos e nos lembra que sempre temos uma nova chance de ser feliz.




2 comentários:

  1. Oi.
    Eu vi uma resenha muito positiva sobre o livro e ele lembrou-me de Lembra de mim? da Sophie Kinsella, mas acredito que este seja muito mais intenso e nos traz mais reflexões. Espero muito ler!
    Beijo, Visite o Leitora Encantada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Miriã,
      A Kinsella escreve mais chick-lit então,com certeza, esse livro é muito mais intenso , dramático e reflexivo... Leia sim ,que você vai gostar!
      Beijos <3

      Excluir

Tecnologia do Blogger.