Header Ads

[Resenha] Diário de uma cúmplice | Mila Wander


336 páginas || Mila Wander || Ano 2016 || Editora Essência || Romance Erótico || Skoob
Resenha por: Débora Favoreto


Diário de uma cúmplice é todo narrado por Chris em forma de diário, achei bem diferente e eu gostei bastante. Nos momentos mais tensos, mais confidenciais, parecia que eu estava invadindo a privacidade da dona do diário, de tão real que a história em si é contada. É o primeiro contato que tenho com a escrita da autora Mila Wander, e posso afirmar que já estou ansiosa para conhecer todas as suas obras. 

Com 25 anos, Chris é introvertida e precisou de um empurrãozinho da amiga para tentar melhorar esse quesito. Por isso, Lessy compra um diário, e afirma que Chris precisa desabafar, nem que seja usando as palavras, essa seria a melhor forma de parar de guardar tudo para si mesma. Segundo Lessy, narrar o cotidiano e todas as coisas que, por acaso, acontecesse, a ajudaria. E por fim, Lessy manteria uma leitura semanal desse diário para que ambas pudessem melhorar a comunicação entre elas. De certo modo, eu acredito que Lessy tenha feito à coisa certa.

“Se o diário é meu e tenho que desabafar, vou soltar o verbo, ok? Estamos combinados?”

Chris é uma mulher muito tímida e tranquila. Trabalha como educadora em uma creche. O tipo de mulher que leva sua vida pacata, da maneira mais segura possível. Solteira por opção. Mora sozinha em um apartamento, e em vários momentos se sente solitária. Chris não tem família, seus pais morreram já faz algum tempo. E um dos motivos por ela estar solteira por opção, é que ela acha todos os homens idiotas.

"Só sei que corri o mais rápido que pude, até chegar ao ponto de não ter certeza se eu era refém ou cúmplice daquilo tudo."

Chris se envolve em uma situação um tanto quanto confusa, onde sua vida mudará completamente.
Em uma noite, ela fica admirada com a beleza de um homem, Miguel, o mesmo é um assaltante profissional e acaba fazendo Chris de refém, porém dentro de algumas horas ela já fazia parte da quadrilha e já estava mais do que apaixonada por ele. A vida de Chris passou de pacata para uma vida mais do que agitada. Insano, né? Mas, lógico que não é fácil entrar para uma quadrilha, com isso a Chris passará por alguns testes e por momentos reais, em que ela ficará na dúvida se ela realmente quer isso ou se prefere sua vida tranquila de antes. 

Em muitos momentos, fiquei chocada com as atitudes da Chris. Uma hora ela tinha certeza do que estava fazendo e o que queria para sua vida. No segundo seguinte, parecia uma garotinha. Isso me irritou bastante. 

Os personagens secundários são essenciais para a história. Me apaixonei pelo Christian. Sério, gente! Quero um amigo igual a ele. Ele foi fiel até o final do livro.

Como o livro é todo em forma de diário, isso deu um diferencial para a edição. Gostei bastante, como já citei, achei bem diferente, mas confesso que foi a capa, que me conquistou de imediato.



CAPA E SINOPSE:

Meu nome é Christine, ou pelo menos costumava ser. Professora numa escola infantil, eu levava uma vida bem normalzinha, meio sem graça, até que numa noite eu o vi. Começou com uma paquera descompromissada, daquelas que acontece quando você vê um cara gato do outro lado da rua. Ele me olhou, eu olhei pra ele e sorri. Esse joguinho de sedução poderia ter terminado num café, ou quem sabe em um namoro, se ele não tivesse se aproximado de mim e me apontado uma arma.
Não sei o que me deu para salvá-lo da polícia e abrigá-lo na minha casa. Burrice? Solidão? Não tinha a menor intenção de me tornar cúmplice de um criminoso. Mas seu olhar quente, sua fala mansa e sedutora me enlaçaram de tal forma que, de repente, eu me vi no meio de um turbilhão de acontecimentos. Agora, refém da paixão por aquele homem, só me restava relatar em um diário como fui me envolver mais de corpo do que de alma com a maior quadrilha do país.

6 comentários:

  1. Olá, Débora!
    Já ouvi falar acerca da Mila Wander, através de seu livro O Safado do 105, um romance erótico. Não tenho costume de ler esse gênero, não por preconceito, apenas não encontrei, ainda, um livro que me instigue a curiosidade.
    A premissa de o Diário de uma cúmplice, me pareceu interessante, principalmente por envolver essa trama policial, além do romance, claro rsrs

    Abraço!
    http://bloghistoriasliterarias.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse foi o único contato que tive com a autora, estou doida para ler O Safado do 105 e ver se eu realmente gosto da escrita dela.

      Excluir
  2. Aiiiiii. Estou com este livro na minha de leituras. Amei sua resenha <3 Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estou doida para saber a sua opinião, Biia. :)

      Excluir
  3. Eu li esse livro e também tive vontade de matar a Chris.
    Mulher sonsa demais.
    Adorei a sua resenha.

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.