Header Ads

[Resenha] Querubins | Martha Ricas

Uma guerreira do céu; Uma dama vitoriana; Uma guerra invisível.
Querubins, a sentença da espada é um relato em duas vozes: a da querubim Chaya, enviada a uma vila celta pré-cristã e que não vê no homem um ser especial, mas com um espírito guerreiro que não a deixa fugir de uma batalha, e a de Mary Grace, uma donzela da Inglaterra vitoriana atormentada por visões que não consegue desvendar.Ambas as tramas se desenlaçam por caminhos intrépidos e podem estar mais ligadas do que imaginam. Garota e querubim podem e precisam mudar o mundo em épocas diferentes. Seguindo os mesmos passos por cenários deslumbrantes e segredos cada vez mais profundos, elas o farão querer embarcar nas intrigas palacianas e nas batalhas angelicais.Recheada de paixão, mistério, ação e intrigas políticas, a trama é tão perturbadora quanto fascinante.

239 páginas || Martha Ricas || A sentença da Espada || Ano 2015 || Editora Novo Século || Skoob



UMA GUERREIRA DO CÉU;  UMA DAMA VITORIANA; UMA GUERRA INVISÍVEL

Querubins foi um livro que me conquistou logo de início; começando pela capa. Duas mulheres fortes, duas diferentes épocas e um só destino; uma guerra no mundo espiritual. A sentença da espada é um dos livros de fantasia mais eletrizantes que já tive o prazer de ler. 

Os personagens criados são fortes. O enredo é interessante e inteligente. O livro relata tempos diferentes, onde ambos foram feitos para a guerra. A autora soube conduzir perfeitamente o rumo da estória, onde em momento algum a leitura fica maçante. 

“Para ter um lar, é preciso lutar por ele, mesmo já tendo a garantia da vitória.”

Chaya é um anjo flamejante que vive no século V (A.C). Ela não apreciava a raça humana e suas recorrentes falhas em seguir os preceitos divinos. Ela nem chegou a se recuperar de uma missão e já foi convocada a outra. Desta vez, na Terra. Ela não faria o de costume, essa missão era mais longa, ela seria infiltrada. Seria feita uma inserção, e a vontade divina queria que você ela a fazê-la. Isso a pegou de surpresa, mesmo assim, foi feita sua vontade.


Do outro lado conhecemos Mary Grace, uma menina rica, atormentada por visões de seres extraordinários, uma donzela da Inglaterra (1840 D.C.) que odeia os humanos. Normalmente, a única paz que ela conseguia encontrar, era com livros. Mas, aos poucos, vê em Mr. Haven, um “amigo”, alguém que ela enfim, consegue confiar seus segredos, sem que ninguém a veja como uma doente, que precise de cura. Tudo isso porque ele também tem o mesmo dom sobrenatural e são poucas as pessoas que sabem e acreditam nisso. 

“Os paraísos construídos pelos homens têm mais espinhos do que belas pétalas.”

Aos poucos percebemos o quanto as duas têm em comum, e isso torna a história mais instigante. A autora conseguiu explorar bem cada um dos lados e personagens. Trazendo mais romance e mistério a trama.

"A dor adiada não deixa de ferir" - Mary

O livro é narrado em primeira pessoa, alternando entre Chaya e Mary. Devo ressaltar que fiquei impressionada com o talento da autora. Com uma escrita impecável e um amplo vocabulário, a leitura é totalmente prazerosa. 


Talvez haja uma continuação, pois a autora deixou um gancho no final. Já estou ansiosa para saber as novidades. 

Querubins foi um dos últimos livros que li em 2015, mas com certeza irei reler em 2016. 
Recomendo a leitura para todos os fãs de fantasia.




3 comentários:

  1. Adoro livros de anjos, amei essa capa e pelo jeito o livro deve ser excelente.
    Não conhecia a autora, mas me interessei muito mesmo.

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Adoro esse tipo de leitura e o que é essa capa? Adorei.
    Achei superinteressante essa coisa de passado e presente, e saber que a autora não pecou na escrita, me deixou interessada.
    Adorei a resenha.
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. A capa por si só já é um enorme convite para a leitura. Que bom que você gostou da estória, e eu espero ler este livro em breve.
    Abraços.

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.