Header Ads

[Resenha] O retorno de Izabel | J.A. Redmerski

O Retorno de Izabel - Determinada a levar o mesmo estilo de vida do assassino que a libertou do cativeiro, Sarai resolve sair sozinha em missão, com o propósito de matar o sádico e corrupto empresário Arthur Hamburg. No entanto, sem habilidades nem treinamento, os acontecimentos passam muito longe de sair como o planejado. Em perigo, Sarai nem acredita quando Victor Faust aparece para salvá-la — de novo. Apesar de irritado pelas atitudes inconsequentes dela, ele logo percebe que a garota não vai desistir de seus objetivos. Então não há outra opção para ele a não ser treiná-la. Com tamanha proximidade, para eles é impossível resistir à atração explosiva. Nem Victor nem Sarai podem disfarçar o que sentem, ou negar o desejo que os une. No entanto, depois de tantos anos de sofrimento e tantas cicatrizes emocionais, será que eles conseguirão lidar com um sentimento como amor? Só que Sarai — novamente na pele de Izabel Seyfried — ainda terá que passar por um último teste; um teste para provar se conseguirá viver ao lado de Victor, mas que, ao mesmo tempo, poderá fazê-la questionar os próprios sentimentos e tudo que sabe sobre esse homem.
232 páginas || Na companhia de Assassinhos #2 || J.A. Redmerki || Ano 2015 || Editora Suma de Letras || Skoob 
* Livro cedido em parceria com a editora


A morte de Sarai terminou de uma forma que me deixou curiosa para saber o que aconteceria dali em diante. Em O retorno de Izabel a autora continua com a mesma narrativa; parecendo um roteiro de filme, porém o primeiro livro me fascinou mais do que o segundo, mas a autora mantêm o ritmo e a qualidade que já conhecemos.


Em o retorno de Izabel, Sarai está trabalhando, tem uma nova vida, mas jamais esqueceu Victor. Todos os dias e em todos os momentos ela espera que ele apareça, o tempo passa e as esperanças vão desaparecendo, ela até tenta gostar de outra pessoa, mas sabemos que após Victor, isso seria impossível.

Sarai está sedenta por vingança, e vai a Los Angeles para colocar seu plano amador de matar Arthur Hamburg em prática. Obvio que o plano não dá certo, ela acaba colocando todos ao seu redor em perigo, mas algo que desejou por tanto tempo acontece, Victor retorna para protegê-la.
Sarai faz de tudo para convencer Victor a treiná-la e a deixá-la trabalhar com ele, mas ele nega a seus pedidos de imediato, mas conhecendo Sarai sabemos que ela não aceitará o não dele, e Victor acaba cedendo.


Victor está sendo perseguido pela Ordem em que trabalhava, e também por bandidos, então todo o cuidado é pouco. Ele “confia” em duas pessoas além de Sarai, que é Niklas (seu irmão) e Fredrick (um amigo de longa data). Mas, a autora nos deixa em duvida em muitos momentos da leitura. Sabemos que há a hipótese que algum dos dois está traindo a confiança de Victor e isso deixa a estória ainda mais instigante, fazendo com que todos, inclusive Sarai, passem por uma prova para testar a lealdade.

“Abro um sorriso leve, saboreando o momento. Quando nos conhecemos, eu não imaginava um só traço de preocupação ou emoção no corpo. Mas cada dia testemunho que ele está se abrindo mais para mim. E vejo que isso está se tornando mais fácil para ele.”

Assim que Sarai fica pronta, ela se torna Izabel, uma assassina perigosa e com um coração frio, confesso que no inicio da leitura estava achando Sarai muito imatura, mas assim que Izabel entra em cena, ela volta a nos emocionar.


Já Victor, nesse livro fica mais romântico, então confesso que o prefiro no primeiro, aquele jeito misterioso me fascinava. Mesmo assim, ele conseguiu me deixar com as emoções à flor da pele.
Fredrik é outro personagem marcante e instigante, sua especialidade é com interrogatórios, e usa meios sádicos para isso, nessas partes da leitura fiquei horrorizada com o seu trabalho e sua tranquilidade.

“Fredrick Gustavsson é uma fera do tipo mais carnal, que adora mulheres e sangue, mas tem limites e critérios, além de levar a lealdade, o respeito e a amizade muito a sério.”

A narrativa alterna entre Sarai e Victor, e temos uma parte da infância de Fredrick e do que aconteceu para ele se transformar no que é hoje. As cenas descritivas me prenderam um pouco menos, mas o livro não deixou nada a desejar, vou citar a mesma coisa que citei na primeira resenha: Essa série merece uma adaptação para o cinema.


Em O cisne e o Chacal, -próximo livro da série-, será sobre Fredrick, cuja habilidade de interrogador foi forjada quando ele ainda era um adolescente. Já estou contando os dias para tê-lo em mãos.


Leia a resenha do livro 1: A morte de Saraí

Acompanhe o blog 'Em cada página' nas redes sociais:
♥ Facebook | ♥ Twitter | ♥ Instagram ♥ Skoob | ♥ Pinterest ♥ Flickr | ♥ Wattpad

6 comentários:

  1. Estava louca esperando esse lançamento e agora posso ler os dois. (Não consigo ler sem ter a continuação) hahahaha
    Eu amo essa autora, e lendo suas resenhas fiquei mais doida ainda.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fran, o livro é muito, muito e muito bom.
      Leia e me conte o que achou!

      Excluir
  2. Adorei o primeiro livro, estava esperando o lançamento desse, ainda bem que já saiu.
    Vou correr comprar o meu.
    Adorei sua resenha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O primeiro é o meu preferido, mas o segundo tem mais ação.
      Leia e me conte o que achou.

      Excluir
  3. Li nesse final de semana, também gostei mais do primeiro, mas a autora melhorou demais a narrativa dela. Está surpreendente, quero o próximo, logo.

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.